More Anna Paz »"/>More Anna Paz »" /> Anna Paz - Revista Ritmo Melodia
Uma Revista criada em 2001 pelo jornalista, músico e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Anna Paz

Compartilhe conhecimento

A cantora e compositora gaúcha, Anna Paz nasceu em Porto Alegre e é formada em Letras pela UFRGS.

Desde criança teve contato com a música por meio de seu pai, Renato Paz (in memoriam), radialista e jornalista que tinha uma vasta coleção de LPs em casa. Começou a cantar aos cinco anos de idade, no coral do Colégio Rosário.

Aos dez anos, começou a tocar violão e a cantar individualmente e em grupo, dando início aos estudos de canto por vários anos (lírico e especialmente popular). Já se apresentou em diversos eventos no interior do estado e na noite porto-alegrense.

Com suas músicas, Anna busca se aproximar e dialogar com as pessoas, sempre tentando fazer o ouvinte sentir o que sentiu no momento em que suas criações vieram ao mundo.

Anna Paz lançou no dia 10 de março de 2023 seu primeiro single, “De Que Me Adianta”. A canção está disponível em todas as plataformas digitais e faz parte do EP lançado em 2023.

Em “De Que Me Adianta”, Anna traz diversas referências da MPB e do Pop, gêneros predominantes em sua música, que tem influências de artistas como Marisa Monte, Vanessa da Mata e Djavan. A letra, muito pessoal, fala da lembrança de uma desilusão amorosa, mesclando sentimentos de revanche, raiva e perdão, tão comuns nessas situações da vida, além de ter um refrão bastante marcante.

A canção foi produzida e gravada pela VALV Produtora, de Caxias do Sul, cuja parceria prevê mais três singles a serem lançados neste ano (todos eles farão parte do primeiro EP da artista).

Anna Paz é uma artista que carrega dentro de si todas as possibilidades do que o feminino pode ser. O lado forte e decidido, o lado sensível, a artista, a mãe, a mulher, trazendo junto a isso todos os sentimentos que cada faceta evoca. Sua música é o reflexo disso, misturando MPB com tudo o que melhor reflita a mensagem e o sentimento da música.

De que me adianta é a assinatura dessa ideia. Falando de modo maduro e profundo sobre a dor do fim de um relacionamento – a desilusão, a revolta e todo o processo de cura e superação do trauma -, Anna traz uma interpretação emocional e um arranjo que evoca e reforça a paleta de sentimentos que esses momentos trazem.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Anna Paz para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 17.05.2024:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Anna Paz: Nasci no dia 28 de julho de 1983, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Registrada como Ana Paula Schizzi Paz.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Anna Paz: Meu primeiro contato com a música foi em minha casa, por meio da coleção de discos do meu pai, Renato Paz (falecido em 2005). Ele era radialista e trazia sempre muitos vinis incríveis para ouvirmos.

03) RM: Qual sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Anna Paz: Sempre estudei canto lírico com diversos professores ao longo dos anos. Além disso, já fiz aulas de teoria musical, de violão e de piano. Fora da área musical, sou formada em Letras (Bacharelado Português e Inglês) pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Anna Paz: Minhas influências musicais são os seguintes artistas: Marisa Monte, Vanessa da Mata, Tom Jobim, Djavan, Adriana Calcanhotto, Elis Regina, Gal Costa, Zizi Possi, Adele, Joss Stone, Laura Pausini, Zaz e Norah Jones. Todos esses artistas foram e continuam sendo muito relevantes na minha trajetória musical.

05) RM: Quando, como e onde você começou sua carreira musical?

Anna Paz: Considero o início da minha carreira musical o ano de 1998, quando me apresentei pela primeira vez em um festival aqui do Rio Grande do Sul, chamado Coração de Estudante, promovido pelo Governo Estadual. Na ocasião, ganhei a etapa regional representado o município de Guaporé, onde residia, cantando a música “De Volta Pro Aconchego” (Dominguinhos / Nando Cordel), gravada por Elba Ramalho. Cheguei à etapa final, em Porto Alegre, evento que reuniu os dez melhores intérpretes do estado.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Anna Paz: Por ora, lancei dois singles em 2023 e tenho a previsão de lançar mais dois agora em 2024. Todas essas músicas farão parte de um EP a ser lançado ainda neste ano.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Anna Paz: MPB, com influências de Bossa Nova e Pop.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Anna Paz: Sim, e sigo estudando.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Anna Paz: Para mim, a técnica vocal e os cuidados com a voz são essenciais e sinto que é um processo contínuo. Acredito que, enquanto vivermos, podemos sempre nos dedicar a ser a nossa melhor versão em todos os sentidos, e isso inclui tudo que envolve o canto.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

Anna Paz: Todos os que são minhas influências, além de outros artistas como Raquel Rodriguez, Moonchild, Tom Misch, Bebel Gilberto, Roberta Campos, Corinne Bailey Rae, Jamiroquai, Incognito, Mayer Hawthorne, Laufey

11) RM: Como é seu processo de compor?

Anna Paz: Em geral, costumo iniciar focando na letra, com a inclusão da melodia posteriormente, mas já houve situações em que o contrário ocorreu. Minha base para criar melodias, além da minha própria voz, é o violão, que também me guia na parte harmônica das minhas composições.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Anna Paz: Por ora, ainda não tive parceiros de composição. Desejo começar a formar parcerias em breve.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Anna Paz: Os prós são maior controle dos processos, do que o artista deseja mostrar ao público. Hoje em dia há uma democratização muito maior aos estúdios e a poder lançar músicas nas plataformas digitais, e, nesse sentido, as redes sociais fazem um trabalho incrível para divulgação das músicas.

Porém, um dos grandes contras é justamente ter que lidar com tudo que envolve o lançamento de uma música de forma solitária, sem que haja, por exemplo, uma equipe para cuidar de detalhes burocráticos. Ser artista nos dias de hoje, na minha opinião, é para quem, além de ter muita coragem, ama verdadeiramente a música.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Anna Paz: Tento sempre pensar em objetivos de curto e médio prazo, tendo como base o que pretendo lançar e de que forma fazer isso, além de avaliar oportunidades que sejam interessantes para alcançar novos públicos com minha música, o que envolve agenda de shows e a constante atualização de repertório e presença nas redes sociais, de forma a sempre gerar conexão real com as pessoas.

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Anna Paz: Praticamente tudo que fiz até agora foi com recursos próprios. Ainda não lancei mão, por exemplo, de financiamentos coletivos. Mais recentemente, investi no desenvolvimento da minha identidade visual, trabalho que foi realizado por uma agência de marketing daqui de Porto Alegre – RS, a DG5 Comunicação. Com isso, pretendo mostrar ao público a minha marca, que foi inclusive inspirada na minha personalidade e no que desejo transmitir ao público.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira musical?

Anna Paz: A Internet é uma grande ferramenta para divulgar o trabalho dos artistas nos dias de hoje e acredito que, sabendo-se utilizar as melhores estratégias, somente venha a acrescentar no desenvolvimento da carreira musical.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Anna Paz: Enxergo apenas vantagens, haja vista a diminuição de custos nesse formato atual. Como está muito fácil de se ter home estúdio hoje em dia, os artistas têm conseguido gravar seus materiais sem ter que esperar, por exemplo, serem “descobertos” por gravadoras, como era no passado, ou gastar rios de dinheiro para poder ter acesso a um estúdio profissional.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Anna Paz: Tento me conectar com as pessoas, com as suas histórias de vida. Na verdade, essa busca é interminável, mas me esforço muito para que meu público consiga sentir o que sinto quando me apresento ou quando fiz uma composição. Em suma, mostro meus valores às pessoas, de forma que esteja sempre presente a mensagem de que a música pode verdadeiramente mudar o mundo para melhor.

19) RM: Como você analisa o cenário da Música Popular Brasileira. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais artistas permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Anna Paz: Considero revelações nas últimas décadas nomes como Anavitória, Tiago Iorc, Maria Gadú, Roberta Sá, Gisele De Santi e Vitor Kley. Quanto aos artistas clássicos que permanecem com obras consistentes, cito Marisa Monte, Djavan, Caetano Veloso, Guilherme Arantes e Chico Buarque. Acho que todos os artistas, de alguma forma, sempre evoluem em seu caminho artístico.

20) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Anna Paz: De forma geral, tenho muita sorte em minhas apresentações. Uma situação inusitada que ocorreu ao final da minha participação em um sarau do estúdio onde faço aula de canto foi quando parte do microfone que eu utilizava acabou se desplugando do nada e eu segui cantando a plenos pulmões. Aí, um rapaz da casa rapidamente conseguiu conectar o microfone novamente e consegui finalizar a música. De certa forma, foi engraçado e o público foi super compreensível com o ocorrido.

21) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Anna Paz: O que me deixa mais feliz é conseguir entregar uma performance musical de qualidade e ter feedbacks positivos do público. Já o que me deixa mais triste é a indiferença, especialmente quando sou “deixada no vácuo”, seja por contratantes, seja por colegas de profissão.

22) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Anna Paz: Para mim, existe. Eu o defino quando encontramos artistas com aptidão para a música e com grande facilidade para aprendê-la. Porém, só isso não basta para que se consiga ter uma carreira musical bem-sucedida. É necessário muito trabalhar para burilar o dom ou o talento musical em todos os aspectos necessários.

23) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Anna Paz: É a habilidade de criar caminhos melódicos diferentes e não esperados ao se executar uma música, seja cantando, seja tocando um instrumento.

24) RM: Existe improvisação musical de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Anna Paz: Acho que existe de fato, mas, quando é efetivamente estudada, se torna mais fácil realizar improvisações musicais em apresentações.

25) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre improvisação musical?

Anna Paz: Só há prós nos métodos de improvisação musical, haja vista que o conhecimento sempre vai tornar o artista mais interessante. Não acho que o estudo formal possa atrapalhar a espontaneidade na hora de improvisar.

26) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o estudo de harmonia musical?

Anna Paz: Da mesma forma que os métodos de improvisação musical, acho que somente existem vantagens no estudo da harmonia musical. Quanto mais se entende a harmonia, mais completo se torna o músico, seja para compreender uma música, seja no momento da composição de uma obra musical, seja na execução dela.

27) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Anna Paz: Acho que podem tocar, mas entendo que talvez o alcance delas fique restrito a um público menor.

28) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Anna Paz: Que tenha certeza do seu amor pela música, pois há muitas dificuldades na caminhada e somente quando se ama verdadeiramente a música é possível vencer os obstáculos que aparecem diariamente.

29) RM: Festival de Música revela novos talentos?

Anna Paz: Não é a única forma, mas acredito que Festival de música revela talentos, sim, vide o caso da grande Laura Pausini, que fez sua estreia no Festival de Sanremo em 1993.

30) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Anna Paz: Entendo que, na maioria das vezes, costuma privilegiar o mainstream musical em detrimento de novos artistas.

31) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Anna Paz: Acho que são excelentes alternativas para mostrar o trabalho de novos talentos e de músicos renomados. São espaços muito democráticos.

32) RM: Quais os seus projetos futuros?

Anna Paz: Desejo seguir com apresentações na minha cidade, Porto Alegre, e em outras cidades e estados também. No final do ano passado, ganhei dois Prêmios Açorianos, de melhor intérprete de música urbana e de revelação do ano de 2023 com um de meus singles, chamado “De que me adianta”, e, recentemente, tive uma música selecionada para o 15º Festival de Música de Porto Alegre, sendo que vou me apresentar nas eliminatórias, no dia 23/03.

Inclusive, essa música, ainda inédita, será o meu terceiro single a ser lançado, provavelmente, entre abril e maio. E, ainda neste ano, vou ter o lançamento do meu quarto single e essas minhas quatro músicas autorais farão parte do meu primeiro EP, a ser lançado em 2024.

33) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Anna Paz: (51) 99205 – 3522 | [email protected]

| https://www.instagram.com/_anna.paz

| https://www.facebook.com/annapaz.br 

Canal: https://www.youtube.com/aninhapaz 

Spotify: https://open.spotify.com/intl-pt/artist/5RKfvqG8cse4Mlb6NMFOdB


Compartilhe conhecimento

Comments · 2

  1. Parabéns pelo trabalho, ótima entrevista, ótimo o trabalho do Antônio, sempre mostrando nossa diversidade musical, sucesso Ana…

Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001 pelo jornalista, músico e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.